Moçambique- Maputo
Bairro da Malhangalene
Rua castelo Branco, 47– R/C
Telefone:   +258 21 417691

GLOSSÁRIO DE AGRO-ECOLOGIA

Written by Administrator
Category:
  1. Ó sol

Existe na China um provérbio muito antigo que diz “A Agricultura é a arte de cultivar o sol”. Esta é uma maneira diferente de se referir a um dos processos básicos responsáveis ​​pela manutenção da vida no planeta: uma fotossíntese. Trata-se de um processo através do qual todas as plantas usam a energia da luz do sol para gerar energia necessária para uma conexão, bem como para uma emergência de todos os seres que vivem na Terra. A fotossíntese é o processo pelo qual as plantas materiais orgânicos a partir de substâncias que estão no ar e na água. Para fazer isto, a parte verde da planta aproveita a energia que está na luz do sol. E como a luz do sol é um recurso natural, renovável e abundante, deve ser utilizado da maneira mais intensa possível.

  1. Nutrientes

A planta também precisa de nutrientes para o seu desenvolvimento. Nutrientes que são encontrados no ar, na água e no solo. O que vem do ar e da água chega a ser 95 a 98% da planta (oxigênio, carbono, hidrogênio, nitrogênio e enxofre). Só 2 a 5% vem do solo. Um exemplo bem prático disto é o caso da produção de 100 mil quilos de batatas. O que realmente sai do solo é mínimo, se comparado ao total produzido.

  1. Água

Nos ecossistemas onde a água e o sol chegam em grande quantidade como as regiões tropicais e 

húmidas subtropicais, é muito importante manter o solo coberto por plantas. Esta cobertura de plantas será responsável por fazer com que esta energia gere vida e não destruição. São bem conhecidos os malefícios que o sol e a chuva podem causar em um solo descoberto. Em ouras palavras, toda forma de energia gera trabalho ou destruição. A energia do sol e da água podem tanto fazer nosso cultivo crescer (trabalho) quanto provocar erosão e compactação no solo (destruição).

  1. Biofertilizante líquido

É um produto natural proveniente da fermentação de materiais orgânicos com água, na presença ou não de ar. Conforme o tipo de literatura aproveitada, pode conter quase todos os elementos básicos à nutrição vegetal. Além disso, pode possuir também efeito fito-hormonal, fungicida, bacteriológico, nematicida, acaricida e de repelência contra insetos. Tem uma vantagem de ser enriquecedor e nutritivo, fortificante para plantas, funcionando para todo tipo de doenças ou pragas; em época de frio ajuda a prevenir danos causados ​​pelas baixas temperaturas; pode ser usado tanto sobre o solo quanto em pulverizações foliares, aplicável com pulverizador.

Biopesticida a base de alho - Dica de agro-ecologia

Written by Administrator
Category:

O alho tem acção fungicida, combatendo doenças como míldio e ferrugens, etc. O alho é um bom repelente contra insectos (lagartas, pulgão, bactérias, fungos e nematóides) e servem como inibidor de digestão destes. Quando pulverizado sobre as plantas depois de 36 horas (1 dia e meio), não deixa cheiro nos produtos.

Ingredientes:

- 270 Gramas (1 copo) de alho triturado;

- 16 Litros de água; e

- 1 Polegar de sabão;

Modo de preparação

- Deixar repousar a mistura durante 24 horas aplicação;

- Filtrar a mistura com um pano fino;

- Agitar uma mistura;

- Pulverizar a mistura (1 pulverizador de 16 litros para 160 m²); e

- Aplicar uma mistura de 15 em 15 dias.

AGRICULTORES SATISFEITOS COM AS FORMAÇÕES DA ABIODES

Written by Administrator
Category:

Produtores Agrícolas que beneficiaram das capacitações promovidas pela Associação para o Desenvolvimento Sustentável, ABIODES, mostram-se satisfeitos com os resultados das formações.

TavitaTumbane, beneficiária, a nível do distrito KaMubukwana, refere que agricultura sustentável melhorou a renda dos produtores, pois se trata de uma metodologia “mais barata” por não acarretar tantos custos com a compra de produtos químicos.

Por outro lado, Miguel Manjate, outro produtor capacitado, diz que este modelo nãoésó importante a nível financeiro mas também a nível sanitário, porque “precisamos todos de mais saúde e de alimentos saudáveis e esse modelo promove boas práticas ecológicas”.

ZefaniasCangela defende que as capacitações levadas a cabo pela ABIODES devem ser expandidas, por se ter provado que oferecem resultados positivos para a produção agrícola.Cangela é membro da Associação 25 de Setembro no distrito KaMavota e é exemplo destes resultados positivos que a agricultura agro-ecológica permite. “Recentemente, fiz uma experiência de um adubo que desenvolvi num tambor. Foram necessários 90 dias para que o mesmo ficasse pronto e acabo de aplicar nos produtos agrícolas. Tenho sinais que garantem que tudo vai correr bem”, assevera Cangela, que, por isso, diz ter certeza de que “se cada vez mais pessoas adoptarem este modelo de agricultura, será possível obter uma produção de boa qualidade, algo que não acontece quando se usam demasiados pesticidas.”

“O objectivo é dinamizar as boas práticas na actividade agrícola”, José Matsinhe.

Written by Administrator
Category:

Na cerimónia de encerramento do ciclo de formações em KaMubukwana e KaMavota, José Matsimbe, técnico da ABIODES, disse que as acções de capacitação são determinantes para a dinamização das boas práticas na actividade agrícola. Isso porque, antes da entrada da Associação para o Desenvolvimento Sustentável nos distritos municipais, “era notória a produção virada apenas para culturas como couve e alface”, cenário ora alterado com o plantio de outros produtos como cenoura, tomate e beringela, “graças as formações ministradas pela ABIODES aos produtores”.

O formato das capacitações, denominadas Formação Agrícola Participativa abre espaço para que os produtores interajam entre si e encontrem as soluções para os seus problemas no campo. “Como o próprio nome das formações sugere, a ideia é envolver o próprio produtor que busca, debate e encontra as melhores soluções para potenciar a agricultura ecológica e cada vez mais amiga do ambiente”, concluiu o técnico da ABIODES.

MAIS DE 500 AGRICULOTRES CAPACIDADOS PELA ABIODES

Written by Administrator
Category:

São ao todoquinhentos e vinte e dois(522) produtores agrícolas dos distritos municipais KaMavota e KaMubukwane, na Cidade de Maputo que beneficiaram de formações em agro-negócio.Entre os beneficiários, no âmbito das acções da Associação para o Desenvolvimento Sustentável, ABIODES, 184 são homens e 338 mulheres, membros de diferentes associações que se dedicam a prática da agricultura, na capital do país.

Além das capacitações em agro-negócio, as acções da ABIODES estiveram também centradas nas auscultações para o Plano da Agricultura Urbana, Reflexão sobre Certificação de Produtos Orgânicos e Mitigação de Salinidade de Solos, assistência técnica e financeira no agro-negócio (da produção a comercialização).

Na componente de formação, de Janeiro a Junho deste ano, os referidos produtores foram capacitados em princípios de agro-ecologia, associativismo, criação de frangos e elaboração de plano de negócios.